Joe Biden derrota Donald Trump e é eleito 46º presidente dos Estados Unidos

KXMQGJ3Y5BFCRPIRIGW2TXRTWA

Joe Biden, do Partido Democrata, foi escolhido, nas urnas, o 46º presidente dos Estados Unidos. A confirmação do resultado veio após a virada nos estados da Georgia e Pensilvânia, que permitiram ao candidato superar o número de 270 delegados, mínimo necessário para a vitória eleitoral.

O presidente eleito agradeceu aos eleitores pelas redes sociais. Em postagem no Twitter, ele afirmou que será um presidente para todos os americanos. “Estados Unidos da América, eu estou honrado por vocês terem me escolhido para liderar nosso grande país. O trabalho que teremos pela frente será difícil, mas eu prometo isso: eu serei um presidente para todos os estadunidenses – quer você tenha votado em mim ou não. Eu manterei a fé que vocês depositaram em mim”, disse.

A vice-presidenta eleita, a senadora Kamalla Harris, também deixou uma mensagem nas redes social e destacou o trabalho que terá pela frente. Com a vitória, Harris se tornou a primeira mulher a ocupar a Vice-Presidência dos Estados Unidos:  “Essa eleição é sobre muito mais do que Joe Biden ou eu mesma. É sobre a alma dos Estados Unidos e nosso desejo de lutar por ele. Nós temos muito trabalho pela frente. Vamos começar.”

Não aceitou a derrota

O candidato derrotado, Donald Trump, do Partido Republicano, não reconheceu a derrota até o momento. Minutos após a mídia estadunidense declarar Biden como vitorioso, Trump publicou uma nota em seu site negando os resultados. No comunicado, o atual presidente diz que “esta eleição está longe de terminar”. Já os advogados do republicano afirmaram aos jornalistas que houve fraude eleitoral e que medidas legais, como o pedido de recontagem de votos, serão apresentadas à Justiça a partir desta segunda-feira (9).

Trunfos

Biden foi eleito com a promessa de restaurar “tudo o que se perdeu” com a gestão atual e de oferecer respostas aos impactos da pandemia baseadas na ciência. O desemprego alcançou níveis recordes em meio à crise sanitária nos Estados Unidos e atinge cerca de 16 milhões de pessoas. O país também é o primeiro colocado no ranking de mortes por coronavírus.

A escolha da senadora Kamala Harris como vice é considerada um dos trunfos da candidatura, na esteira dos protestos antirracistas que sacudiram o país entre maio e outubro.

Relação com o Brasil

Embora Jair Bolsonaro (sem partido) e seus filhos tenham apoiado declaradamente a eleição do candidato republicano, as relações econômicas entre Brasil e Estados Unidos não devem sofrer alterações profundas, segundo analistas. Afinal, mesmo com Trump, as trocas não são tão favoráveis ao país quanto o governo costuma propagandear.

Biden e sua equipe não sinalizaram em nenhum momento a pretensão de romper ou se afastar do país sul-americano. A indicação mais clara feita por assessores do democrata é que uma boa relação dependerá das iniciativas do Brasil para garantir a preservação da Amazônia.

Fonte: Daniel Giovanaz / Brasil de Fato, com edição Seeb Pelotas

Foto: Andrew Harnik / POOL / EFE