Caixa na mira da privatização: Alcolumbre prorroga MP 995/20 por mais 60 dias

PRIVATIZAÇÃO

Publicada em agosto passado, a Medida Provisória (MP) 995/2020, que abre brechas para a privatização da Caixa Econômica Federal, teve sua validade prorrogada por mais 60 dias na última sexta-feira (2). A MP, caso não fosse prorrogada, iria caducar – como se diz no jargão legislativo vigente do Congresso Nacional – uma vez que, em função da articulação dos parlamentares contrários à venda de subsidiárias da estatal e do caráter polêmico do tema, ainda não foi votada.

A prorrogação foi publicada na edição da última sexta-feira (2), do Diário Oficial da União (DOU), por ato do presidente do Senado, senador Davi Alcolombre (DEM-RO). Caso venha a ser aprovada, a MP permitirá a privatização da instituição possibilitando acesso a fontes adicionais de financiamentos, com a possibilidade de alienação de ativos e a realização de Ofertas Públicas Iniciais (IPOs).

O presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sergio Takemoto, reiterou que a luta das entidades de trabalhadores ligadas à estatal prossegue.  “A prorrogação da MP só adia a votação da medida, mas mantém os efeitos dela. Isso significa dizer que a Caixa continua em risco de ser privatizada, enquanto valer a MP. Precisamos ficar atentos às manobras e reforçar a mobilização contra a venda das subsidiárias”, afirmou ele, ao acrescentar que “a venda de qualquer segmento da Caixa é um grande golpe à população brasileira”.

Fonte: Fenae, com edição Seeb Imprensa Pelotas

Arte: Seeb Pelotas