Desumano: Caixa segue abrindo as agências aos sábados

Design sem nome (10)

CEE/Caixa reivindicou, em mesa de negociação, o fim da abertura aos sábados e questionou a necessidade da medida

Empregados esgotados pela jornada extenuante de trabalho. Esse é o sintoma predominante dos trabalhadores da Caixa que vêm atuando aos sábados. Mesmo com a reivindicação para suspender a abertura das agências, a Caixa segue com o calendário.

As entidades representativas dos bancários criticam a manutenção dessa medida, uma vez que as filas nas agências reduziram consideravelmente. A Caixa também assumiu, em mesa de negociação, o compromisso de empenhar-se para excluir da portaria o calendário de sábado e, para o momento, trabalhar ao menos sábado alternativamente, mas não está cumprindo.

No último dia 12 de setembro, 770 agências abriram em todo país, das 8h às 12h. O atendimento foi feito para os beneficiários do Auxílio Emergencial e do Saque Emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Para o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sergio Takemoto, a Caixa precisa ouvir os empregados. Foram eles que fizeram o pagamento do auxílio emergencial e os saques do FGTS para mais de 100 milhões de brasileiros. “Há tempos que nós da Fenae e o movimento sindical vem questionando a necessidade das agências continuarem abrindo aos sábados. As demandas diminuíram e os dias úteis estão sendo suficiente para atender à população”, afirmou.

O assunto também foi pauta frequente na mesa de negociação da Campanha Salarial 2020. Durante a negociação da Campanha Salarial 2020, a Caixa informou que o pedido está em avaliação e o objetivo é adequar as próximas portarias para que não haja a abertura. Até esse momento, a intenção é trabalhar alternadamente até excluir a portaria.

Com informações da Fenae

Arte: SEEB Pelotas