Banrisulenses discutem manejo da pandemia de COVID-19 com o banco

You ar our heroes.

Os banrisulenses vêm se reunindo sistematicamente com o banco para tratar dos assuntos relacionados à pandemia da COVID-19. No mais recente encontro, ocorrido na última quinta-feira, 13 de agosto, foram registrados os avanços no manejo da pandemia desde o início das negociações e a instalação do Comitê de Crise no Banrisul, embora ainda haja muita demanda e problemas, apresentados pelo movimento sindical.

Estão entre as preocupações, a situação de mães lactantes e com filhos e filhas em idade de creche e escolar que não estão conseguindo a aprovação do trabalho home office; a ausência e insuficiência de revezamento em algumas unidades, com equipes que se cruzam e desrespeito aos decretos em alguns municípios.

Os negociadores do banco argumentaram sobre a dificuldade de colocar mais empregadas em home office, mas se comprometeram em analisar caso a caso a situação das mães lactantes e com filhos e filhas em idade escolar e em creches. Quanto ao revezamento, foram categóricos ao afirmar que não existe possibilidade de fazê-lo em agências pequenas, entretanto, orientam em revezar nas agências médias e grandes. As denúncias do não cumprimento desta orientação devem ser encaminhadas via Comitê de Crise.

Os representantes dos banrisulenses também reivindicaram a testagem para empregados e empregadas em agências que tenham casos positivados para COVID-19 e onde a comunicação do caso tenha excedido 14 dias. Além disso, solicitaram informações sobre o enfrentamento da pandemia por parte da empresa coligada Bagergs, questão que, segundo os representantes do Banrisul, está sendo acompanhada pelo banco.

Fonte: Fetrafi-RS