Entidades discutem minuta de reivindicações com o Banrisul

david pires banrisul

Reunião preliminar na última quinta-feira tratou de temas que devem ser debatidos na Campanha

Diretores da Fetrafi-RS, representantes dos Banrisulenses e da direção do Banrisul realizaram reunião na última quinta-feira, 23 de julho, sobre algumas questões que estarão em jogo na negociação do Acordo Coletivo específico dos Banrisulenses. Durante o encontro pela plataforma Zoom, os dirigentes anunciaram que a minuta de reivindicações dos Banrisulenses está pronta e esperam que a diretoria do banco pudesse recebe-la antes da negociação agendada para ontem, terça-feira, 28 de julho.

Participaram da reunião diretoras e diretores da Fetrafi-RS e diretores sindicais de outras regiões. Como representantes da diretoria do Banrisul estavam o superintendente de RH, os assessores jurídicos e além do negociador Fernando Perez.

Os dirigentes e os representantes da diretoria acertaram os detalhes do calendário de negociações. É consenso entre as partes a necessidade de intensificar os debates para vencer as pautas dentro dos prazos. Por isso, a partir da próxima semana, as terças e quintas-feiras ficarão reservadas para reuniões de negociação. Considerando o fim da ultratividade, o objetivo é renovar o acordo até 31 de agosto, data-limite de validade do atual ACT Específico assinado em 2018.

O entendimento é que haverá dificuldades para vencer as propostas dos Banrisulenses e do banco. Os dirigentes reforçaram o fato de que a minuta com as reivindicações é democrática, construída com a participação dos colegas.

Este ano, em razão da pandemia, dirigentes e representantes do banco também se reúnem a cada 10 dias para avaliar a aplicação de protocolo de sanitização e de proteção à saúde dos Banrisulenses no Comitê de Crise, o que contribui para deixar a agenda ainda mais apertada. Conversas diárias também são realizadas através do comitê instalado com um representante do movimento sindical e um do banco.

Os dirigentes reforçaram que aguardam que o banco marque o mais breve possível a data da entrega remota da pauta de reivindicações. Além disso, pediram que o banco explicasse parte de suas pautas, especialmente as propostas para Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) e banco de horas.

O banco respondeu que a pandemia impõe dificuldades e desenha uma crise financeira bastante severa. O contraponto dos dirigentes é que há espaço para avançar em muitos itens. Os representantes dos Banrisulenses reforçaram, também, que a pauta de reivindicações foi desenhada na perspectiva de o Banrisul se manter como um banco público.

Fonte: Imprensa SindBancários, com edição da Fetrafi-RS

Foto: David Pires/Banrisul