#ACAIXAÉTODASUA homenageia empregados na linha de frente do auxílio emergencial

materia-valorizacao-caixa-covid-600x400px_novaRV2

Segunda fase da campanha #ACAIXAÉTODASUA valoriza a atuação dos trabalhadores do banco público

Mesmo diante de todas as dificuldades, desorganização e falta de planejamento do governo, foi a atuação dos empregados que permitiu concretizar o pagamento do auxílio emergencial, reduzindo as filas e tirando dúvidas. Com a prorrogação do benefício para mais dois meses, novamente, os trabalhadores são chamados para cumprir o papel social da Caixa, atuando na linha de frente para oferecer o melhor atendimento à população que precisa da Caixa para superar a crise do Covid-19.

Nesse sentido, a nova etapa da campanha #ACAIXAÉTODASUA tem o objetivo de agradecer o trabalho essencial exercido pelos empregados da Caixa. Com o mote “Obrigado, pessoal da Caixa. Vocês são essenciais para o Brasil seguir em frente”, a campanha está sendo veiculada nas rádios e TVs do país.

Durante a pandemia, os empregados reforçaram o papel imprescindível do banco público para o Brasil. “Os empregados estão fazendo um trabalho maravilhoso, colocando em risco a saúde para cumprir o papel da Caixa e atender a população brasileira, principalmente os mais carentes. Extrapolam o horário, têm trabalhado aos sábados, numa rotina estressante”, ressaltou o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sérgio Takemoto.

Ainda segundo o presidente da Fenae, a gestão da Caixa precisa valorizar os empregados e oferecer melhores condições de trabalho. “As entidades que representam os bancários têm atuado fortemente para garantir a proteção da saúde e da vida dos empregados e da população. Continuamos cobrando a Caixa para que adote os protocolos, o home office e amplie as contratações”, afirmou Takemoto.

A campanha #ACAIXAÉTODASUA

Lançada em outubro de 2019, a campanha#ACAIXAÉTODASUA é promovida pela Fenae e o Comitê Nacional em Defesa da Caixa, com a Contraf/CUT e centrais sindicais. O objetivo era alertar os empregados e a sociedade sobre os prejuízos que a venda das partes lucrativas do banco público causaria ao país.

A agenda de privatização da Caixa foi travada por causa da pandemia, mas o governo não desistiu e prepara a abertura de capital da Caixa Seguridade, Caixa Cartões e Loterias.

Fonte: Fenae