Abraham Weintraub anuncia saída do Ministério da Educação

Captura de Tela 2020-06-19 às 08.43.18

Abraham Weintraub divulgou um vídeo ontem, quinta-feira (18), anunciando que vai deixar o Ministério da Educação. “Dessa vez é verdade, eu estou saindo do MEC”, diz ele na gravação, ao lado do presidente Jair Bolsonaro. “Eu vou começar a transição agora e, nos próximos dias eu passo o bastão pro ministro que vai ficar no meu lugar, interino ou definitivo”, completa.

“Nesse momento, eu não quero discutir os motivos da minha saída, não cabe. O importante é dizer que eu recebi o convite pra ser diretor de um banco, já fui diretor de um banco no passado, volto ao mesmo cargo, porém no Banco Mundial”, explica ele. Weintraub agradece Bolsonaro e diz que com isso ele e a família terão a segurança que o está “deixando preocupado”.

Destaca ainda que segue apoiando Bolsonaro, como fez “nos últimos três anos”. Completa afirmando que foi uma honra participar do governo Bolsonaro e deseja sorte ao presidente no “desafio gigante que é tentar salvar o Brasil”, nas palavras dele. “Eu continuarei lutando pela liberdade, só que eu vou lutar de outra forma”, encerra.

Bolsonaro diz que “é um momento difícil” e que todos os seus compromissos de campanha continuam em pé. “Todos os que estão nos ouvindo agora são maiores de idade e sabem o que o Brasil está passando, e o momento é de confiança, jamais deixaremos de lutar por liberdade”, afirma, concluindo ao dizer que faz “o que o povo quiser”.

Desde o início da semana, circulava a informação de que Weintraub deixaria o Ministério da Educação a qualquer momento. O ministro, considerado da ala ideológica do governo Bolsonaro, foi gravado na reunião ministerial do dia 22 de abril, divulgada há algumas semanas, chamando os ministros do Supremo Tribunal Federal de “vagabundos”. No último fim de semana, participou de ato de bolsonaristas em Brasília que também atacou o STF. As ações o levaram a se tornar alvo do inquérito do STF que investiga disseminação de fake news e ataques aos ministros da Corte.

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

Fonte: Sul 21