Com aumento de 75% em internações por covid-19, Porto Alegre retoma restrições

20200320-img_1239

A Prefeitura de Porto Alegre publicou, na tarde de segunda-feira (15), decreto que volta a restringir algumas atividades que haviam sido liberadas na Capital. As mudanças se devem, especialmente, ao aumento da velocidade na ocupação de leitos de UTI para covid-19 em Porto Alegre. Esta semana iniciou com 79 pacientes internados em Unidade de Terapia Intensiva por coronavírus, um salto de 75% em relação ao início de junho, quando eram 45. De acordo com o Executivo, a volta de algumas restrições tem o objetivo de evitar que a demanda de saúde extrapole a capacidade de atendimento da rede hospitalar. As novas regras passam a valer a partir desta terça-feira (16).

“Liberamos paulatinamente alguns setores e sempre alertamos que, se houvesse necessidade, poderíamos voltar a restringir. E isso infelizmente aconteceu, com o crescimento da velocidade de ocupação de leitos de UTI. Estas novas medidas visam a conter uma evolução descontrolada, o que poderia ampliar o risco de estrangulamento da nossa capacidade de atendimento em saúde. Ainda que indesejadas, essas regras são para evitar que pacientes que precisem de leitos fiquem sem atendimento”, afirma Marchezan.

A mudança nas regras, no entanto, não impacta restaurantes, bares e lancherias, que seguem autorizados a funcionar. Já nos shoppings poderão operar somente alguns estabelecimentos. Estão autorizados a abrir microempresas, microempreendedores individuais (MEIs), empresas de pequeno porte (EPPs) e autônomos. O funcionamento fica liberado a partir das 9h, para evitar a superlotação de passageiros no transporte coletivo. Empresas com faturamento anual acima dos R$ 4,8 milhões estão proibidas de abrir.

Restaurantes
Não há restrição de porte para funcionamento de restaurantes, bares e lancherias, que ficarão com atendimento permitido até as 23h. Delivery e take-away seguem autorizados em qualquer horário, desde que sem entrada de clientes no estabelecimento e sem formação de filas.

Shoppings
Dentro de shoppings centers e centros comerciais, locais de alta circulação de pessoas, seguem autorizados a funcionar: farmácias e lojas de comércio e serviços na área da saúde; mercados, supermercados e afins; restaurantes, bares e lancherias (até as 23h); bancos, terminais de autoatendimento, lotéricas e correios (atendimento a portas fechadas e na proporção de um cliente por atendente); estacionamentos e posto de atendimento da Polícia Federal. Lojas poderão abrir seguindo as regras dos demais estabelecimentos comerciais de rua (microempresas, MEIs e EPPs).

Serviços
Escritórios de advocacia, engenharia, consultorias, imobiliárias, serviços administrativos, entre outros com atendimento ao público, deverão retornar ao trabalho remoto.

Fonte: Sul21

Foto: Luiza Castro/Sul21