Comando apresenta 17 reivindicações à Fenaban e aguarda posicionamento dos bancos

Captura de Tela 2020-03-24 às 09.28.02

Bancários exigem o fechamento das agências para proteger a saúde dos trabalhadores e trabalhadoras, mas bancos estão irredutíveis.

O Comando Nacional dos Bancários fez uma videoconferência com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) nesta segunda-feira, 23 de março, para apresentar uma pauta de reivindicações de 17 itens, entre eles o fechamento das agências bancárias neste período de pandemia do coronavírus. Entretanto, a conversa foi difícil e as negociações avançaram pouco, segundo o diretor de Comunicação da Fetrafi-RS, Juberlei Bacelo, que participou da reunião virtual.

Embora estados como Santa Catarina já tenham adotado a medida e diversos decretos municipais determinando o fechamento de agências tenham sido publicados nos últimos dias, até o momento não há nenhuma intenção dos bancos em suspender as atividades presenciais em todo o país.

Mesmo assim, o negociador da Fenaban se comprometeu a avaliar as reivindicações. O comando colocou um prazo até a manhã desta terça-feira, 24, para resposta dos bancos e irá realizar nova reunião virtual às 15 horas.

Veja as propostas apresentadas pelo Comando:

1. Fechamento das agências bancárias e demais unidades;

2. fechar agências em hospitais e aeroportos, devido ao risco;

3. suspensão das metas;

4. manter atendimento não presencial das atividades consideradas essenciais pelo decreto 10.282/2020; que estabelece em seu artigo 3º § 1º inciso XX que são atividades essenciais no setor financeiro: “compensação bancária, redes de cartões de crédito e débito, caixas bancários eletrônicos e outros serviços não presenciais de instituições financeiras”;

5. agendamento para casos de atendimento presencial em caso de extrema necessidade;

6. redução da jornada para os que tiverem que ir ao local de trabalho;

7. garantia de deslocamento seguro para os que tiverem que fazer o atendimento não presencial de alimentação e processamento do auto-atendimento;

8. suspensão das demissões;

9. home office para todos os bancários e bancárias, com exceção de quem terá que ir às agências para dar suporte ao funcionamento dos caixas eletrônicos. Devendo haver escala de revezamento. Não podendo ser incluído no mesmo os funcionários que estão nos grupos de risco; que não tem com quem deixar os filhos menores e àqueles que co-habitem com pessoas enquadradas no grupo de risco, exemplo: pais idosos;

10. garantia da ultratividade dos Acordos e Convenções Coletivas até 31/01/2021;

11. a MP 927 não será adotada sem negociação coletiva com o Comando;

12. Suspensão dos descomissionamentos;

13. antecipação do Vale Alimentação;

14. que os bancos façam campanha na mídia orientando os clientes sobre o uso dos meios digitais; caixas eletrônicos e os riscos da contaminação do CORONAVÍRUS;

15. disponibilização de máscara, luvas e álcool gel para os que irão realizar essas atividades essenciais;

16. suspensão dos vencimentos dos boletos por sessenta dias;

17. isenção de tarifas (clientes com renda até dois salários mínimos) de três transferências eletrônicas mês (TED E DOC) para diminuir a contaminação pelo uso de cédulas.

Fonte: Fetrafi-RS