Sindicatos suspendem reestruturação da Caixa na justiça

caixa publica mauricio morais

Juiz deferiu tutela antecipada determinando que banco suspenda reestruturação até que ocorram negociações no âmbito da Mesa Permanente de Negociação

O movimento sindical, através de ação judicial, conseguiu, na terça-feira 11, uma importante vitória para os empregados da Caixa. O juiz responsável pela ação deferiu tutela antecipada suspendendo a aplicação da reestruturação até que sejam realizadas negociações no âmbito da Mesa Permanente de Negociação.

Além disso, determinou que o prazo de adesão dos empregados seja de no mínimo 15 dias, começando a contar após a conclusão da Mesa Permanente de Negociação. Portanto, o prazo estipulado unilateralmente pela Caixa para o dia 12 de fevereiro, às 19h, não tem mais qualquer valor legal.

“Defiro a tutela antecipada para determinar o imediato sobrestamento do processo de implementação do novo plano até que haja a realização de reunião e de tratativas no âmbito da Mesa Permanente de Negociação e para reformular o cronograma de adesão, fixando novos prazos para adesão por qualquer dos empregados da reclamada, em prazo não inferior a 15 (quinze) dias, em atenção ao princípio da razoabilidade, a correr após a conclusão do trabalho da aludida Mesa Permanente de Negociação”, diz o juiz em sua decisão.   

A Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) se reuniu com a direção do banco nesta quarta-feira, 12, às 9h, para tratar da reestruturação.

“A reestruturação está suspensa até a conclusão do processo de negociação e o prazo não vale mais. Orientamos os empregados a aguardar antes de tomar qualquer decisão quanto a adesão. Na reunião, vamos buscar esclarecer todas as dúvidas dos empregados”, diz o coordenador da CEE/Caixa, Dionísio Reis.

Com informações SP Bancários

Foto: Maurício Morais