Conheça a história de Alemão: cachorro resgatado por bancária e em busca de um lar

3aefcd37-48e1-4140-aaa9-32fc548e80a3

Por: Helena Schuster*

Segundo um levantamento do ano passado, promovido pelo Instituto Pet Brasil (IPB), existem 3,9 milhões de animais em condição de vulnerabilidade no país. Nesta parcela, se enquadram os animais que vivem nas ruas e recebem cuidados da comunidade ou vivem com famílias classificadas abaixo da linha da pobreza.

Em Pelotas, não é diferente. Milhares de animais se encontram em situação de rua, onde vivem expostos a maus tratos, doenças e acidentes. Nas redondezas da Universidade Católica de Pelotas, o cachorro Alemão era mais um entre tantos animais abandonados nas ruas.

O Alemão, um cachorro de aproximadamente três anos, porte grande e temperamento amigável, vivia nas ruas e era cuidado pela comunidade. No dia 26 de junho de 2019, na região onde costumava viver, ele foi atropelado por um motociclista, que não prestou socorro. Machucado, o cachorro se escondeu dentro de um estabelecimento, onde foi encontrado pela bancária de 33 anos, Tainá Figueiredo, que mora em Pelotas e é funcionária da agência do Banco do Brasil de Canguçu. O resgate do cachorro deu início à história de superação e amizade entre Tainá e Alemão.

Com dores insuportáveis e sem o movimento das patas traseiras, Alemão foi diagnosticado com uma lesão na coluna. O estado grave do animal levantou, inclusive, a possibilidade de eutanásia, que foi negada por Tainá. “Desde o início eu sempre percebi no Alemão uma vontade de viver” contou. Assim, a intervenção cirúrgica era a saída para tentar reparar os danos. Segundo Tainá, a cirurgia era uma loteria, que poderia, ou não, garantir a recuperação do cachorro.

Depois do diagnóstico, a tutora do animal precisou de auxílio para cobrir as despesas do tratamento, que eram altas demais para ela arcar sozinha. “O pessoal da minha agência me apoiou muito, foram eles que fizeram uma vaquinha inicial para que eu pudesse pagar a cirurgia”, contou. Com o apoio inicial dos colegas de trabalho, Tainá conseguiu boa parte do dinheiro, e, para conseguir o resto, a bancária recorreu à internet. “Eu comecei a fazer postagens nas redes sociais para conseguir o resto do dinheiro. E consegui! Foi incrível! Dez dias depois que peguei o Alemão, ele entrou para a sala de operação e a cirurgia foi um sucesso”, comemorou Tainá.

Atualmente, seis meses depois da cirurgia, Alemão é um cachorro 100% saudável e recuperado, que está em busca de uma família. Tainá não tem a estrutura necessária para ficar com ele, que necessita de bastante espaço para viver. O Alemão está vacinado e com a castração marcada. Segundo Tainá, ele é muito dócil e convive bem com outros animais. A tutora está em busca de uma adoção consciente, e também está disposta a levar o cachorro em outros municípios e auxiliar nos custos de vida do animal. Gostaria de adotar o Alemão? O telefone disponível para entrar em contato com a Tainá é (53) 99137 0440.

* Estagiária de Comunicação do Sindicato dos Bancários

Foto: Arquivo pessoal/Tainá Figueiredo