Continua a polêmica sobre contratação na Cassi

1447710033cassidf

Continua a novela sobre a contratação de Milton Murakami como analista de saúde sênior na Cassi. Apesar de não ter experiência em organização de serviços de saúde, o sócio do diretor eleito da Caixa de Assistência, Luiz Satoru, insistiu na contratação do amigo sem justificativa convincente. Para completar, escondeu o valor real do salário. Inicialmente, a informação era que Murakami receberia pouco mais de R$ 4.000,00. No entanto, foi constatado que, na verdade, a remuneração é o dobro do divulgado. Outro questionamento do movimento sindical…

Leia Mais

Banco do Brasil lidera lista de reclamações no último trimestre de 2018

banco-do-brasil

Em segundo e terceiros lugares, apareceram o Santander e o Bradesco, respectivamente O Banco do Brasil (BB) liderou o ranking de reclamações contra instituições financeiras no quarto trimestre de 2018, segundo informou nesta terça-feira (15) o Banco Central (BC). A lista, divulgada regularmente pelo órgão, se refere aos bancos que têm mais de quatro milhões de clientes em sua base. Em segundo e terceiros lugares, apareceram o Santander e o Bradesco, respectivamente. No período apurado, o Banco Central (BC) recebeu 1.585 queixas consideradas procedentes contra…

Leia Mais

Declarações machistas de novo presidente do BB preocupam bancárias

declaracoes-machistas-de-novo-presidente-do-bb-preocupam-ban_dd8831df09fac9b197117317f2c7a30e

Posts no Facebook de Rubem Novaes são carregados de machismo, misoginia e ofensa às mulheres O novo presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, nem bem assumiu o cargo e já causa preocupações para as funcionárias do banco. Isso porque seu histórico de postagens no Facebook é carregado de misoginia, machismo e preconceito contra mulheres. Entre as postagens estão ofensas de cunho sexual, comentários jocosos sobre a aparência e a capacidade das mulheres, além do compartilhamento de notícias falsas e teorias conspiratórias descabidas. Para a…

Leia Mais

Aumento da co-participação penaliza somente associados

contraf-cut-e-entidades-entregam-proposta-cassi-ao-banco-do-_ecdeeaf1aa4b61b68416d01d20129f84

Cassi, mais uma vez, protege o banco e manda conta para os associados A decisão foi tomada com votos dos diretores e conselheiros deliberativos indicados pelo banco, com apoio do diretor eleito Satoru e do conselheiro eleito Faraco. Os demais representantes eleitos votaram contra.No final de novembro a Diretoria e o Conselho Deliberativo da Cassi alteraram o Regulamento do Plano Associados para aumentar a coparticipação em consultas de 30% para 40% e em serviços de diagnose e de 10% para 20% em terapia. Pretendem arrecadar…

Leia Mais

Privatização do BB e da Caixa só trará prejuízos

20354037685b867b9c4c04e

Mesmo com a declaração do presidente eleito de que os bancos não estão na rota da privatização, não é isto que os sinais mostram. A indicação de nomes com especialização em privatizar, como Rubem Novaes para presidir o BB e Pedro Guimarães para comandar a Caixa, deixou a sociedade ainda mais alerta. Como os bancos públicos são fundamentais para promover o desenvolvimento social e econômico do Brasil e vão além do lucro, não podem ser entregues à iniciativa privada. É o que destacou a ex-ministra…

Leia Mais

Contraf-CUT e Banco do Brasil renovam acordo de CCV

image-contraf-cut-e-banco-do-brasil-renovam-acordo-de-ccv_1b629f167d926f7043ca09d3938f9a64

Comissão de Conciliação Voluntária de 7ª e 8ª horas valerá até o final de 2020 A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT) assinou na quarta-feira (28) a renovação do acordo de Comissão de Conciliação Voluntária (CCV) com o Banco do Brasil, que permite aos bancários e bancárias fazerem acordos extrajudiciais sobre questões das relações de trabalho, antes de se tornarem demandas judiciais. O principal público da CCV são os funcionários que estão em cargos que podem ser com jornada de seis horas, como…

Leia Mais

Contraf-CUT e entidades entregam proposta Cassi ao Banco do Brasil

contraf-cut-e-entidades-entregam-proposta-cassi-ao-banco-do-_ecdeeaf1aa4b61b68416d01d20129f84

A proposta mantém as contribuições normais de 3% para os associados e 4,5% para o banco e mantém o modelo de governança paritária sem voto de minerva As entidades representativas signatárias do Memorando de Entendimentos 2016 – Contraf-CUT, AAFBB, Anabb, Contec, Faabb – e entidades que não participam da mesa de negociações se reuniram na sede da Cassi entre os dias 12 e 20 de novembro, no Grupo de Trabalho formado a convite da Caixa de Assistência, na busca de solução para a sustentabilidade e…

Leia Mais

Governo Bolsonaro inicia perseguição ao estilo CCC nos bancos Federais

images_cms-image-000611886

O governo Jair Bolsonaro nem começou mas já inicia uma campanha de caça a funcionários que não rezem pela cartilha do bolsonarismo nos bancos federais. O levantamento dos nomes a serem perseguidos está sendo feito por “grupos voluntários” de funcionários de carreira do Banco do Brasil (BB), da Caixa Econômica Federal (CEF), do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), do Banco do Nordeste (BNB) e do Banco da Amazônia (BASA). A ação lembra as campanhas do Comando de Caça aos Comunistas (CCC) durante a ditadura militar (aqui). O método é…

Leia Mais

BB está na mira de Guedes privatizador

bb-esta-na-mira-de-guedes-privatizador_fb1370624cfe6711834e4153d5aabaab

Funcionários e a sociedade como um todo precisa de mobilizar se não quiser ver o banco nas mãos da iniciativa privada “A cada dia fica mais claro que Guedes vai usar seus argumentos econômicos para convencer todo mundo do governo que seja contrário às privatizações a aceitar a ideia de é necessário vender todas as empresas públicas, como ele já declarou diversas vezes. O Banco do Brasil já virou mira”, avaliou o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB (CEBB), Wagner Nascimento. “Alertamos…

Leia Mais

Banco do Brasil ameaça bancários que têm ações na Justiça

banco_do_brasil

O Banco do Brasil, através da Diretoria de Pessoas (Dipes), está coagindo bancários de todo o país a aderirem à jornada de seis horas. Com essa medida, o banco pretende evitar o aumento do passivo trabalhista devido a uma discussão judicial sobre ilegalidade da jornada de trabalho individual. O Sindicato discorda dessa tese, pois entende que existe um pré-contrato que considera as 7ª e 8ª horas trabalhadas no momento que o bancário recebe a função comissionada. Em face dessa situação, o banco tem “ofertado” vagas de…

Leia Mais