Justiça determina que Itaú reintegre bancária demitida por LER/DORT em Roraima

justica-determina-que-itau-reintegre-bancaria-demitida-por-l_21e1d6572090d9d5d908d0098589bfde

O Juiz do Trabalho José Roberto da Silva, da 2ª Vara do Trabalho de Porto Velho (TRT 14) concedeu liminar, no último dia 30 de abril, a uma bancária do Itaú que foi demitida em setembro de 2017, tão logo o banco descobriu que ela era portadora de doença ocupacional (LER/Dort). Funcionária do Itaú desde setembro de 2011, por quase sete anos tem atuado em funções que exigem dela movimentos repetitivos, como soma, digitação, digitalização de arquivos pesados e contagem de células. Neste período ela…

Leia Mais

Lucro do Itaú cresce 3,9% e famílias donas do banco recebem R$ 9 bilhões em dividendos

itau-lucra-quase-r-25-bi-em-2017_930bd8577dde7095b621053b67387221

O lucro do Itaú Unibanco (ITUB4) cresceu 3,9% no primeiro trimestre de 2018 na comparação com um ano antes, para R$ 6,4 bilhões, informou o banco por meio de um comunicado publicado na noite de terça-feira (1). O número veio acima dos R$ 6,32 bilhões estimados pela média dos analistas. O lucro das atividades de seguridade e serviços responde por 56% desse total. A rentabilidade recorrente anualizada sobre o patrimônio líquido médio foi de 22,2%. A carteira de crédito atingiu R$ 601,1 bilhões ao final de março…

Leia Mais

STJ reduz valor de causa contra o Itaú em mais de mil vezes

A man walks past an Itau Unibanco logo in Rio de Janeiro, Brazil

​Banco é acusado de contribuir para superendividamento de clientes; valor da causa foi reduzido de R$ 160 milhões para R$ 160 mil. Em decisão tomada na quarta-feira, dia 10, a 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça reduziu em mil vezes (de R$ 160 milhões para R$160 mil) o valor da causa de uma Ação Civil Pública proposta contra o banco Itaú. Segundo a ação, o banco oferece de forma indiscriminada produtos como cheque especial e cartão de crédito e, assim, contribui para situações de…

Leia Mais

Bancários do Itaú sofrem com metas e mudanças nas regras do programa Agir

bancarios-do-itau-sofrem-com-metas-e-mudancas-nas-regras-do-_5cfbcde6bb7c48d2c647c96a18c65faf

O programa AGIR, ligado à remuneração variável dos funcionários do Itaú, tem deixado bancárias e bancários descontentes. Além das pressões para o cumprimento de metas, os bancários vêm sofrendo com contabilizações erradas de pontos e mudanças unilaterais nas regras por parte do banco. A denúncia foi feita em Minas Gerais. De início, o problema já surge quando gestores cobram que funcionários cumpram 1200 pontos do programa para que recebam alguma remuneração variável. O número ultrapassa a meta real do AGIR, que seria de 1000 pontos.…

Leia Mais

Itaú culpa cliente por estupro e não reembolsa saque feito após abuso

cut-repudia-itau-por-considerar-cliente-culpada-pelo-proprio_adfb97e17f51d7d7933f98079f28b1f3

Uma cliente do Itaú conseguiu na Justiça o reembolso de um saque feito contra a sua vontade logo após ela ter sido estuprada. O banco alegou no processo que a culpa pelo primeiro crime, e consequentemente pelo segundo, era da própria mulher, que não estava acompanhada do namorado no momento. Na decisão, o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) considerou a afirmação dos advogados do banco como “pífia e desumana”. E acompanhou o precedente julgado em junho do ano passado, que pedia anulação dos…

Leia Mais

Tribunal condena Itaú por gerente usado como ‘escudo humano’ em São Paulo

tribunal-condena-itau-por-gerente-usado-como-escudo-humano_199e1b1c80300710b1f537c04324760e

“De acordo com uma testemunha, o empregado sofreu cerca de quatro assaltos durante o contrato de trabalho, tendo sido utilizado como escudo humano e o Itaú ‘não tomou nenhuma medida’ nem ofereceu ‘nenhum tipo de apoio após o assalto’”, informa o TRT-2. “Em razão da violência sofrida, o gerente foi acometido por síndrome do pânico, depressão e alcoolismo.” A 6ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2), em São Paulo, condenou o Itaú a pagar R$ 500 mil de indenização à família…

Leia Mais

Itaú é condenado por negar indenização a gerente sequestrada no Espírito Santo

Sem Título-1

Em decisão unânime, a Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) condenou o Itaú a indenizar, por danos morais, uma gerente de agência que, após sofrer dois graves assaltos durante o serviço e de ser vítima de sequestro, foi aposentada por invalidez decorrente de estresse pós-traumático. O motivo foi a recusa do banco de conceder à bancária indenização prevista na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) para os casos de assalto que resultem em morte ou incapacidade permanente para o trabalho. O Itaú recorreu da condenação,…

Leia Mais

Itaú pagará PLR no próximo dia 1º de março

itau-pagara-plr-no-proximo-dia-1-de-marco_975d68331e00b45ccda77170be9e9236

O banco Itaú comunicou que a segunda parcela da PLR será paga no próximo dia 1º de março.  O salário será pago no dia 24 de fevereiro. Na mesma data que será creditado o pagamento normal (24/2), será visualizado no lançamento futuro o valor da PLR. O banco justificou a necessidade de pagamento no dia 1º de março, pois teria o mês inteiro para realizar eventuais ajustes, visto que a Receita Federal obriga o pagamento de PLR em apenas dois meses do ano. Uma parcela…

Leia Mais

Banco não tem motivos para retirar direitos dos trabalhadores

itau-lucra-quase-r-25-bi-em-2017_930bd8577dde7095b621053b67387221

O banco Itaú obteve um Lucro Líquido Recorrente de R$ 24,879 bilhões, com crescimento de 12,3%, em relação a 2016 e de 0,4% no 4º trimestre, na comparação com os três meses anteriores. A rentabilidade (Retorno sobre o Patrimônio Líquido Médio Anualizado –ROE) ficou em 21,8%, com aumento de 1,5 pontos percentuais em doze meses. “Os trabalhadores contribuem para que o lucro do banco não pare de crescer. Não existe motivo para que o Itaú queira retirar direitos dos trabalhadores, ou forçá-los aceitar novas regras…

Leia Mais

Itaú é condenado a reintegrar bancária

contrafcut

Banco também terá que pagar multa de R$ 520 mil por forjar justa causa para demitir trabalhadora doente A  6a Vara do Trabalho de João Pessoa (PB), condenou o Banco Itaú Unibanco a reintegrar definitivamente a bancária Ana Leda Lima Rodrigues. Na sentença, o magistrado também condenou o banco a pagar uma indenização no valor de R$ 520 mil por danos morais e materiais. A bancária, que é portadora de doença ocupacional, foi demitida em dezembro de 2015 e reintegrada por força de medida judicial,…

Leia Mais