Enquete

Você se sente ou já se sentiu assediado moralmente no banco?

Pelotas adere à mobilização nacional contra as reformas de Temer

Atividades ocorreram durante todo o dia e terminaram com grande ato pelas ruas da cidade

Em 2017, ano em que se comemora o centenário da Revolução Russa,  as reformas Trabalhista e da Previdência ameaçam os direitos dos trabalhadores brasileiros. A categoria bancária já está percebendo os impactos da política neoliberal nas suas rotinas de trabalho, pois a reestruturação e a ameaça de privatização dos bancos públicos fazem parte de um projeto maior, em que os direitos sociais estão sendo enfraquecidos para beneficiar grandes empresários, banqueiros e rentistas. O favorecimento à iniciativa privada e o sucateamento dos serviços públicos podem acarretar na perda de milhares de postos de trabalho. Somente no Banrisul, estima-se que milhares de bancários possam perder seus empregos.

Mobilização

Nas ruas de pelo menos 70 cidades, em todo o país, os trabalhadores brasileiros repudiaram o Projeto de Lei que autoriza a terceirização irrestrita e às reformas Trabalhista e da Previdência. Em tramitação na comissão especial da Câmara de Deputados, esta última deve ser votada até abril. O texto prevê idade mínima de 65 anos, com  49 de contribuição, para que o trabalhador possa receber o benefício integral da aposentadoria. Os mais afetados, certamente, serão aqueles que prestam serviços que oferecem piores condições de trabalho.

Conforme explica a advogada previdenciária, Ana Maria Isquierdo, os impactos serão ainda maiores para mulheres e trabalhadores mais humildes. “Igualar a idade de contribuição de homens e mulheres, ou do trabalhador rural com o urbano, é inviável. O aumento no tempo de contribuição prejudica o trabalhador mais humilde, que, muitas vezes, embora desempenhe alguma atividade laboral, não possui carteira assinada, e chega na velhice cansado, doente e sem a carência mínima para receber seu benefício previdenciário”, disse.

Para demarcar posição, em Pelotas, as atividades começaram logo pela manhã, com diversas categorias de trabalhadores reunidas e dialogando com a população sobre os impactos que as possíveis mudanças ocasionarão no mundo do trabalho. O Sindicato dos Bancários distribuiu material informativo e conversou com a categoria nas agências bancárias do centro da cidade. Toda movimentação foi transmitida ao vivo pela Rádicom 104.5 FM. A programação se encerrou com grande ato nas ruas da cidade.

Imprensa Seeb Pelotas

Foto: Liana Nunes Coll - Adufpel

Voltar