O machismo nos bancos

felipe-abre
De acordo com dados do Censo da Diversidade 2014, mesmo com mais anos de escolaridade e representando praticamente metade da categoria bancária (48,3%) e sendo a maioria no Sudeste (51,9%), as mulheres ainda ganham menos e enfrentam maiores barreiras para ascender na carreira no setor financeiro.

O Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) de 2018, do Ministério da Economia, também revela a disparidade salarial entre homens e mulheres nos bancos.

Nesta terça, dia 12, será realizada mesa temática de Igualdade de Oportunidades, a primeira do calendário de negociações com a Fenaban em 2019, na qual a representação dos bancários irá cobrar novos avanços e nenhum retrocesso.

Confira abaixo os dados que revelam como o machismo está fortemente presente no sistema financeiro:

Arte: Fabiana Tamashiro | Fonte: Redação Spbancarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *