Pelotas terá Comitê Popular em defesa da Democracia

comites_site-585×390

Nesta sexta-feira (13), será lançado, em Pelotas, na Casa do Trabalhador – rua Santa Cruz, 2454, às 21h, o Comitê Popular em Defesa da Democracia e do Direito de Lula ser candidato à presidência da República.

Sob o lema “Defender Lula é defender a Justiça e a democracia”, militantes de movimentos sociais e do movimento sindical da cidade de Pelotas se unem à campanha nacional que denuncia o retrocesso que o país vive e o avanço das forças políticas conservadoras. Com a prisão ilegal do ex-presidente Lula, a esquerda brasileira tem compreendido que o momento é de união contra o avanço do fascismo. Lula foi condenado, sem provas, por um tribunal de exceção, em um momento político marcado pela impunidade em relação aos partidários do golpe que derrubou a presidente Dilma Rousseff.

O deboche com a cara da população é escancarado. Temer e Aécio – articuladores do golpe híbrido – protegem-se, mutuamente, junto ao Congresso e à Justiça. Muitos dos seus pares, no Legislativo, também são réus em processos de corrupção, mas têm votado para que nem mesmo uma investigação seja colocada em curso contra os dois maiores representantes dos partidos políticos que tomaram a dianteira da farsa grotesca que levou ao afastamento de Dilma, após a ex-presidente se negar a fazer acordo com o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, para o tão propalado “acordo nacional”, revelado pelo senador Romero Jucá em conversa com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado.

A semana está sendo de muitos protestos pelo país. São atos que denunciam os desmandos do poder Judiciário contra a democracia, criando um clima de tensão em pleno ano eleitoral, com o claro objetivo político de inviabilização do candidato que lidera as pesquisas de intenção de voto. Com uma justiça parcial e seletiva, a população brasileira está refém do interesse do poder econômico, tendo negado o direito de eleger quem quer que seja. Lula, nesse contexto, é considerado um preso político. Todos que defendem a democracia tem o dever de exigir sua soltura e o respeito a todos os ritos legais que devem ser obedecidos para uma condenação.

Os comitês populares resultam de uma articulação com o objetivo de somar esforços por parte dos movimentos sociais, sindicais, artístico e da sociedade civil, em geral, para, ao lado dos partidos progressistas, defender a democracia e o direito da população escolher o seu novo presidente.

Imprensa Seeb Pelotas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *