FNDC vai denunciar presidente da EBC por racismo

meme_racista
Se o Estado de Direito estivesse em pleno funcionamento, Rimoli (foto) já deveria ter sido afastado, diz FNDC

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) pretende denunciar o presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Laerte Rimoli, que compartilhou memes pelo Facebook debochando de declaração da atriz Taís Araujo, que recentemente afirmou que seu filho é vítima de racismo. Em uma das imagens compartilhadas por Rimoli, uma garotinha supostamente foge da atriz e de seu filho, acompanhado da frase “quando você percebe que é o filho da Taís Araújo na calçada”. Outra imagem com teor similar foi postada na segunda-feira 20, Dia da Consciência Negra.

Em vídeo divulgado na semana passada, Taís Araujo participou de uma palestra intitulada “Como criar crianças doces em um país ácido”. E afirmou que “A cor do meu filho faz com que as pessoas mudem de calçada.”

Para a jornalista Renata Mielli, coordenadora do FNDC, as postagens de Rimoli são graves porque racismo, no Brasil, é crime. “E se tornam mais graves ainda por incompatíveis com a função de um gestor de comunicação pública, que deveria zelar pelo fim de todas as formas de discriminação, pelo respeito à diversidade e aos direitos humanos”, observa. A reportagem é da Rede Brasil Atual.

Segundo a coordenadora do fórum, o fato de Laerte Rimoli dedicar parte de seu horário de expediente a tripudiar sobre assunto de extrema gravidade explica, em parte, o processo de desmonte da EBC e do desprezo do governo pela comunicação pública. “Racismo já é crime. Agora, praticado por um gestor de uma empresa pública de comunicação é totalmente absurdo. Nos causa profunda indignação. Vamos fazer o que estiver ao nosso alcance para denunciar e exigir que as medidas cabíveis sejam adotadas”, diz Renata.

A ação de Rimoli, que também é jornalista, ocorre dias depois de o apresentador da Rede Globo William Waack ter sido afastado pela emissora após a divulgação de vídeo em que é flagrado dando declarações racistas.

A coordenadora do FNDC diz que, se o Estado de direito estivesse em vigor no Brasil, Rimoli deveria já ter sido afastado das suas funções. “Como ele é um preposto de um governo golpista, que é conivente com práticas discriminatórias e racistas, não sei se sofrerá algum tipo de sanção.”

No início da tarde de quarta-feira 22, Rimoli publicou em seu Facebook um pedido de desculpas a Taís e sua familia “por ter compartilhado um post inadequado em minha timeline”.

Rede Brasil Atual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *