Bancários debatem demandas com o Itaú

300px-Banco_Itaú_agência_Leblon
Funcionários do Itaú e direção da empresa começaram a debater o termo aditivo à CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) 2016/2018. Durante mesa de negociação, a COE (Comissão de Organização dos Empregados) e a Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) discutiram as cláusulas 62 e 65 da Convenção, além de outros interesses dos bancários.

Em relação à cláusula de 62, acordou-se que os trabalhadores vão criar um grupo de monitoramento para acompanhar as realocações e reclassificação, como ocorrido na compra do Unibanco. Já sobre a cláusula 65, as partes entendem que o tema referente ao adiantamento emergencial de salários nos períodos transitórios de afastamento por doença deve continuar sendo debatido na mesa permanente do GT de Saúde.

Outras questões ficaram pendentes, como o número de turnover, medidor da rotatividade de pessoal, que caiu de dois dígitos para 9%, mas ainda continua alto, já que o ideal é zero.

Para o próximo encontro, os dirigentes sindicais reivindicaram um mapa geral sobre o quadro funcional do Citibank. Representou os bancários da Bahia, o diretor da Federação Onísio Machado.

Com informações do SBBA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *